Posts tagged infantil

Brincar na água em Segurança…

água em segurança

O afogamento na criança, ou acidente por submersão, é um acontecimento trágico, rápido e silencioso, que pode ocorrer em muito pouca água.

Ocorre em ambientes familiares como a banheira, tanque de roupa ou rega, poço, fossa, piscina, lago de jardim, rio, praia ou mesmo baldes e alguidare

10 Conselhos Rápidos para Evitar os Afogamentos de Crianças

1. Perto da água, não perca as crianças de vista nem por um segundo.

2. Dificulte o acesso das crianças aos locais com água: vede ou cubra piscinas, lagos, tanques, poços e fossas.

3. Nunca deixe uma criança de 3 ou 4 anos sozinha na banheira durante o banho.

4. Despeje toda a água de baldes, alguidares e banheiras logo após a utilização.

5. Coloque sempre às crianças braçadeiras em águas paradas, transparentes e pouco profundas ou um colete salva-vidas em águas agitadas, turvas ou profundas.

6. Escolha praias e piscinas vigiadas e cumpre a sinalização.

7. Ensine as crianças a nadar, mas mantenha a vigilância.

8. Ensine as crianças a nunca irem nadar sozinhas e não mergulhar de cabeça sem conhecer bem a profundidade da água.

9. Aprenda a fazer reanimação cardio-respiratório, esse gesto pode salvar uma vida.

10. Em Férias, redobre a vigilância. O primeiro dia e o final da tarde são os momentos em que acontecem mais afogamentos.

Esteja preparado para evitar o acidente. Deixe as crianças brincar na água, em segurança. Leia atentamente as recomendações que se seguem:

Vigie activamente e em permanência as crianças na água

  • Não espere ouvir barulho. Uma criança não esbraceja nem grita quando cai à água: afoga-se em silêncio absoluto.
  • Se houver água por perto, não perca as crianças de vista nem por um segundo;
  • Durante o banho, nunca deixe uma criança com menos de 3 anos sozinha na banheira; não atenda o telefone nem a porta. Despeje a água da banheira imediatamente após a utilização;
  • Esvazie baldes e alguidares, logo após a utilização.
  • O álcool pode interferir com o seu estado de vigília e com a sua capacidade de nadar. Se está a vigiar crianças, mantenha-se sóbrio.
  • Escolha praias e piscinas vigiadas
  • Localize o nadador salvador e informe-se sobre as precauções que deve tomar. Cumpra a sinalização.

Vedações

  • A existência de uma boa vedação diminui para metade o número de acidentes por submersão nas piscinas.
  • Vede a sua piscina, tanque de rega ou o lago do jardim. Cubra adequadamente os poços e as fossas. É importante dificultar o acesso das crianças pequenas à água através de barreiras físicas.
  • Para ser eficaz, a vedação não deve permitir a passagem de uma criança por cima, por baixo ou através dela (recomendações técnicas para vedações de piscinas)
  • Há outras barreiras físicas tais como o abrigo e a cobertura rígida, electrónica ou manual, mas deverá assegurar-se de que estão sempre fechadas quando não está nenhum adulto a utilizar a piscina. As coberturas maleáveis não são indicadas para evitar o afogamento uma vez que facilmente acumulam água, ou poderão permitir que uma criança escorregue por baixo delas;
  • A colocação de um alarme, mesmo com vedação, pode ser um bom auxiliar da vigilância, no caso da criança conseguir transpor as barreiras físicas. Não se esqueça de verificar regularmente o seu bom funcionamento.

Utilize auxiliares de flutuação

  • Os coletes de salvação e as braçadeiras facilitam a flutuação, mas não substituem nunca a vigilância activa do adulto. Estima-se que 85% dos afogamentos em acidentes com barcos poderiam ter sido evitados se a vítima utilizasse colete de salvação.
  • Em águas agitadas, turvas ou profundas, quando andar de barco ou praticar desportos náuticos, coloque sempre à criança um colete de salvação adequado ao seu peso e tamanho. Este colete deve obedecer às normas de segurança europeias e não pode ser insuflável.
  • Coloque sempre braçadeiras bem ajustadas, em águas paradas, transparentes e pouco profundas.
  • As bóias e colchões insufláveis são perigosos e não devem ser usados por crianças. Viram-se facilmente ou podem ser arrastados pelo vento.

Ensine as crianças a nadar

  • As aulas de natação melhoram a competência da criança na água, embora não se deva confiar nas suas capacidades para se salvar antes dos seis ou sete anos. Lembre-se também que saber nadar de fato de banho não é o mesmo que cair à água vestido e com sapatos.

Em Férias

  • Em férias, redobre a vigilância. O primeiro dia de férias e o final da tarde são as alturas em que acontecem mais afogamentos.
  • Informe-se previamente na sua agência de viagens sobre as condições de segurança na água no seu destino de férias.
  • Quando chegar, e antes de desfazer as malas, inspeccione o local onde vai viver nos próximos tempos, verificando o acesso a  piscinas, lagos, tranques, poços, rios ou mar.
  • Localize o telefone que vai utilizar e coloque o número de emergência e a morada de férias em local visível.
  • Utilize embarcações aquáticas em segurança
  • Respeite e faça respeitar as zonas de banhistas. Jovens com menos de 16 anos não devem conduzir embarcações pessoais como motos de água ou outras. Lembre-se que o colete de salvação deve ser sempre utilizado.

Ensine à criança comportamentos seguros na água:

  • Nunca nadar sozinha;
  • Nadar paralelamente à margem;
  • Nunca mergulhar de cabeça sem saber bem qual a profundidade da água ou se existem rochas ou desníveis no fundo; não mergulhar em pontões;
  • Nunca atrapalhar outras crianças com brincadeiras perigosas (submersão da cabeça, empurrões para a água…).

O sol pode provocar queimaduras graves na pele.

  • Aplique protector solar adequado às crianças antes de sair de casa e renove a aplicação com frequência. Evite a exposição solar entre as 11h e as 16 horas.

A sua atitude pode salvar a vida de uma criança. Prepara-se. Se ocorrer um acidente por submersão e a criança parar de respirar, saiba como agir:

  • Tenha um telefone portátil à mão ou localize previamente o telefone mais próximo;
  • Se possível, alerte o nadador salvador;
  • Chame o 112 e dê indicações precisas sobre o local onde se encontra;
  • Se souber, inicie a reanimação cardio-respiratória e mantenha-a até à chegada da ambulância.
  • Em caso de paragem cardio-respiratória devido a um acidente por submersão, o início imediato da reanimação cardio-respiratória é fundamental. Tire um curso de socorrismo.

A sobrevivência e a qualidade de vida dependem do estado da criança nos primeiros 10 minutos. As sequelas podem ficar para toda a vida e dependem do estado da criança ao chegar ao hospital.

Esteja preparado. Você pode salvar uma vida.

Informação retirada do site da Associação para a Promoção da Segurança Infantil

Leave a comment »

Dia Mundial contra o Trabalho Infantil – 12 de Junho

Em seguimento do Dia Mundial da Criança existe o dia Mundial contra o Trabalho Infantil, dia este surgiu para fazer cumprir dentro do possíveis a “Declaração dos Direitos da Criança, onde actualmente está escrito que todas as crianças, independentemente da raça, religião, género e cor, têm direito a:

  • Educação gratuita;
  • Alimentação;
  • Cuidados médicos;
  • Protecção;
  • Ambiente de paz;
  • Afecto, amor e compreensão;”

Não ao Trabalho Infantil

O Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil comemora-se todos os anos a 12 de Junho, e tem como objectivo a conjugação de esforços do movimento global para eliminar o trabalho infantil. Destaca os perigos e os riscos que muitas crianças trabalhadoras enfrentam ainda muito jovens e as políticas necessárias para lutar contra o trabalho infantil.

Este ano, o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil será assinalado em todo o mundo com actividades destinadas a sensibilizar a sociedade para a Educação enquanto resposta certa contra o trabalho infantil.

Hoje, mais do que nunca, as crianças precisam de uma educação e formação de qualidade, que lhes forneçam as competências de que necessitarão para serem bem sucedidas no mercado de trabalho.

Texto retirado do site do Sindicato de Professores do Norte

Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

Mais de 200 milhões de crianças continuam a ser forçadas a trabalhar diariamente no Mundo, sendo que «três em cada quatro estão expostas às piores formas de exploração laboral», alertou ontem a Organização Internacional do Trabalho, no âmbito do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, que se assinala hoje.

Tráfico humano, conflitos armados, escravatura, exploração sexual e trabalhos de risco são alguns exemplos de actividades a que 75% das vítimas de trabalho infantil estão expostas e que «prejudicam de forma irreversível o seu desenvolvimentos físico, psicológico e emocional».

Em Portugal, e segundo a Confederação Nacional de Acção Sobre o Trabalho Infantil, a fiscalização não funciona «tão bem como deveria», sobretudo em relação às novas formas de exploração como é o caso do chamado «trabalho artístico».

Em declarações à Lusa, a presidente da Confederação, Ana Maria Mesquita, diz que o número de casos e as condições em que a exploração laboral de menores ocorre no País são «substancialmente diferentes» do que acontecia até à década de 90, altura em que correspondia a uma «chaga».

Influência da crise neste flagelo

As comemorações do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil vão, este ano, salientar os desafios que ainda restam neste combate, sobretudo o trabalho que envolve raparigas e discutir o impacto que a crise económica mundial pode ter no agravamento deste flagelo, bem como enfatizar o papel fundamental da educação na solução do problema.

No entender da OIT, a «abolição efectiva» da exploração laboral das crianças – que «são privadas de direitos básicos, como educação, saúde, lazer e liberdades individuais» – é um «dos maiores e mais urgentes desafios do nosso tempo».

A expansão do acesso ao ensino básico, com muitos países a eliminaram as propinas escolares, e a implementação de programas de transferência social são alguns recentes progressos.

Texto retirado do Blog “Quebrar silêncios, devolver sorrisos

Mude a realidade

Seja responsável e não deixe os seus filhos entrar nesta roda do trabalho infantil. Dê-mos educação aos nossos jovens, que essas serão as ferramentas essenciais para um futuro ambicioso e promissor…

Comments (3) »

Dia Internacional do Livro Infantil

Hoje é um Dia Internacional do Livro Infantil, sendo comemorado um pouco por todo o mundo.

diainternacionallivroinfantil

A Equipa que coordena e dinamiza este blog sugere uma visita às páginas que se seguem, onde podem :

Ambas as histórias podem ser ouvidas no site basta carregar nos respectivos botões de ouvir a história. No primeiro link pode ouvir e ler histórias recomendadas dentro do âmbito do PNL (Plano Nacional de Leitura) e no segundo pode ouvir a História de Portugal de forma interactiva. Siga as nossas sugestões e vai ver que não se vai arrepender e vai passar um bom bocado de diversão na leitura das nossa sugestões.

Leave a comment »